Cosac Naify se destaca em 2008

Segundo o jornal O Estado de São Paulo (30/12/2008), 2008 foi um ano dourado para a editora Cosac Naify. E não é exagero. Além de editar o Nobel de Literatura do ano, Jean-Marie Le Clézio , a editora venceu três categorias do Prêmio Fernando Pini de Excelência Gráfica. Em “livro de texto”, com Moby Dick. Em “livro infantil”, com Lampião e Lancelote. E uma das Coleções de Moda Brasileira venceu na categoria “livro ilustrado”, informa a coluna Direto da fonte.

A Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) elegeu, no dia 8 de dezembro, os melhores do ano em dez categorias. Dois livros editados pela Cosac Naify foram premiados.  Em Literatura, O santo sujo – a vida de Jayme Ovalle, escrito pelo jornalista Humberto Werneck, foi eleito a melhor biografia do ano. Na mesma categoria, O livro amarelo do Terminal, de Vanessa Barbara, conquistou o prêmio de melhor livro-reportagem com uma original abordagem da rodoviária do Tietê ao retratar as mais diversas histórias de vida que ali se cruzam, além de uma criteriosa investigação jornalística sobre sua construção. Já O Fazedor de Velhos, de Rodrigo Lacerda levou o  Prêmio Glória Pondé de Literatura Infantil e Juvenil, da Fundação Biblioteca Nacional.

Anúncios

Uma resposta

  1. Tenho os dois primeiros. Sem dúvida mereceram os prêmios.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: