Tem de tudo nesta rua #1

Até o dia 27 deste mês, a Feira Intinerante ficará na Cinelândia, em frente às saídas Câmara e Teatro Municipal do metrô. A maioria dos estandes fica aberto até às 19 horas. Destaco nesta feira as biografias (sempre) com boa qualidade por um preço bem mais em conta (Mao, Mauá e Churchill), a primeira edição de “A Construção do Livro” por menos da metado do preço atual e dois exemplares difíceis de encontrar: “Minha razão de viver”, do Samuel Weiner e um raro exemplar, no estado, de um livro sobre o cinquentenário do Fluminense. Rogo que postem outros achados nos comentários.

PS.: Como não podia deixar de ser, o título é homenagem a um livro de infância que me veio à memória.

Tem de tudo nesta rua #0

Dizem as más línguas que ele até trabalha, mora lá longe e chacoalha num trem da Central
(Homenagem ao Malandro, Chico Buarque)

Sempre haverá um dia daqueles no final do período da faculdade, sem sequer uma xerox de má qualidade na mochila, em que teremos que enfrentar uma hora e meia de viagem da Central do Brasil até a última estação do nosso ramal (seja este Santa Cruz, Japeri, Belford Roxo ou Gramacho). Excetuando-se aqueles que tem o dom de dormir em transporte coletivo sem abrir a boca ou cair no passageiro ao lado, a ausência de um bom livro torna quase insuportável o trajeto entre os berros de ambulantes e choros de crianças.

Bem verdade que pouquíssimos – no caso deste blog, que fique claro – irão identificar-se com o homenageado da epígrafe acima. No entanto, a salvação de alguns leitores-viajantes desprevinidos é bastante útil para qualquer leitor, principalmente os que buscam preço ou raridades.

Quem, no começo do ano, passou pela Presidente Vargas deve ter reparado que a Feira de Livros organizada por alguns sebos cariocas estava lá. Confesso que um “Senhor das Moscas” comprado com uma moeda salvou uma viagem de ida e volta naquela época. Os frequentadores do Largo de São Francisco podem, naturalmente, sentir-se em casa. Aos “alérgicos” fica a dica para procurar bem, visitar a feira mais de uma vez e negociar os preços.

Ficam aqui as desculpas por não ter avisado no momento certo, mas inauguro o espaço para sabermos onde está a feira intinerante.

FLIP 2009 terá uma mesa de HQ

A 7ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que acontece entre 1º e 5 de julho, terá uma mesa para os HQs. Já estão confirmados os gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá, que publicam tira na Ilustrada, e ainda Rafael Grampá e Rafael Coutinho. A mediação será de Joca Reiners Terron. No ano passado, um dos grandes destaques da Festa foi o quadrinista britânico Neil Gaiman.

Fonte:  Folha de São Paulo

Meg Cabot e William P. Young na Bienal do Livro Rio

Grandes autores já confirmaram sua participação na Bienal do Livro do Rio. Entre os destaques da programação cultural do evento estão Meg Cabot, autora de “Diário da Princesa” e William P. Young, autor de “A Cabana”.

Cabot conquistou seu lugar entre o público adolescente com sua série, que migrou para os cinemas e alçou Anne Hathaway à fama, na pele da Princesa Mia. A autora já ultrapassou a marca dos 15 milhões de livros vendidos, em mais de 26 obras capazes de falar com meninas de todo o mundo. 

Young, por sua vez, viu seu “A Cabana” – escrito apenas como um presente de Natal para sua família e amigos mais próximos – impactar diretamente na vida de muitos leitores antes mesmo de sua publicação. A história do pai amargurado que tem um encontro com Deus já foi traduzida para 36 idiomas e está há 39 semanas liderando a lista das obras de ficção mais vendidas do New York Times.

A Bienal do Livro Rio 2009 acontece entre os dias 10 e 20 de setembro, no Riocentro.

 

Primavera dos livros

Os jardins do Museu da República, no Catete, recebem, do dia 27 ao dia 30 de novembro, os 86 estandes da Primavera dos Livros, feira que promove novidades do mercado editorial, lançamentos, recreação infantil, contador de historias, roda de poesias e palestras. Até domingo, mais de 3.000 títulos podem ser adquiridos a preços acessíveis e com descontos que chegam até a 50%. A Primavera dos Livros é realizada pela Liga Brasileira de Editoras (LIBRE).

Na programação de palestras, o teólogo Leonardo Boff vai falar às crianças sobre Natal, Ruy Castro comanda um bate-papo sobre bossa nova. O poeta Eduardo Tornaghi, que largou há anos a carreira de galã de televisão e enveredou pelas rodas de poesias, também fará uma participação de peso na feira, que está aberta ao público, de sexta-feira à domingo, das 10h às 22h.

Fonte: JB Online

60ª Feira de Frankfurt é a maior do mercado editorial

Logo da feira e torre do pavilhão de exposições

Logo da feira e torre do pavilhão de exposições

A Feira do Livro de Frankfurt chegou à sua 60ª edição na condição de maior e mais importante ponto de encontro do mercado editorial mundial. Mais de 7 mil editoras de 101 países foram representadas nos pavilhões da cidade alemã entre 15 a 19 de outubro. Elas levaram a Frankfurt em torno de 400 mil títulos, entre publicações em papel e eletrônicas.

Na primeira edição da feira, em 1949, eram pouco mais de 200 expositores, todos eles da Alemanha. Em exposição, estavam cerca de 10 mil livros e a feira, organizada na Igreja Paulskirche, atraiu 14 mil visitantes. Na edição de 2007, foram registrados 283 mil visitantes. Este ano, recorde de público: 5% maior que o ano anterior, incrivelmente não sucumbindo à crise financeira.

A internacionalização da feira começou cedo. Já na edição de 1950 havia em torno de cem editoras estrangeiras em Frankfurt e, em 1953, o número de expositores de fora da Alemanha – exatos 534 – já era maior do que o de editoras alemãs – 524.

Feira internacional

“Desde o seu início que essa feira não é alemã, mas internacional. Ela está por acaso em Frankfurt, mas o setor adotou este lugar, se sente bem aqui. Acho que a tradição colabora para isso”, afirma o diretor da Feira de Frankfurt, Jürgen Boos.

Ele avalia que parte do sucesso da feira está na seleção dos seus temas centrais. “Sempre nos saímos bem no debate de temas. A digitalização do mundo, o confronto entre grandes e pequenas editoras, a situação do mercado editorial. Todos esses assuntos sempre estiveram presentes e jamais alguém se furtou a falar o que pensa”, diz Boos.

Outra iniciativa que se mostrou acertada é a homenagem a um país ou uma região. A América Latina foi a primeira região destacada, em 1976, e o Brasil foi o país-tema em 1994. Este ano a escolha recaiu sobre a Turquia, e, em 2009, será a vez da China.

A Feira de Frankfurt mantém um escritório no país comunista e incentiva as novas editoras privadas chinesas. “Depois da Revolução Cultural, houve uma ruptura cultural na China. Ninguém mais escreveu e a herança cultural se foi. Mas agora há algo novo no país, e por isso precisamos estar presentes. As primeiras editoras independentes estão surgindo, e temos de apoiá-las.”

Livros eletrônicos

O Sony Reader, um dos leitores eletrônicos apresentados na feira

O Sony Reader, um dos leitores eletrônicos apresentados na feira

A presença de escritores renomados é outro ponto forte do evento. Orhan Pamuk,  Prêmio Nobel de Literatura, representou a Turquia. Outro Nobel que circulou pelo evento foi o escritor alemão Günter Grass. Entre os homenageados deste ano, o autor brasileiro de best-sellers Paulo Coelho teve destaque. Ao todo, mais de mil autores participarão da feira – 250 só da Turquia.

Um dos destaques da feira deste ano foi a digitalização do mercado editorial. A Sony apresentou seu Reader, aparelho que permite a leitura dos chamados e-books, ou livros eletrônicos.

Fonte: DW-Word

20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Começa amanhã, dia 14 de agosto, mais uma edição da Bienal do Livro na capital paulista, que, dessa vez, vai comemorar os 200 anos da indústria do livro no país depois da chegada de João VI e da família real em 1808 e, com eles, também, o surgimento da Biblioteca Imperial, a atual Biblioteca Nacional.

Além de, por questões óbvias, Portugal ser um dos países homenageados, Japão e Espanha farão parte dos destaques comemorativos da feira, aquele pelo centenário de imigração japonesa em terras brasileiras e este pela realização da 7ª edição do Congresso Ibero-Americano de Editores.

A organização do evento estima que o público visitante dos estandes de mais de 900 selos editoriais atinja a marca de 800 mil pessoas.

O evento, promovido pela CBL, ocorre desta quinta-feira até o domingo da semana que vem, dia 24, no Parque de Exposições Anhembi.
Os pavilhões ficam abertos das 10 às 22 horas, e os ingressos custam R$ 5,00 para quem tem carteirinha de estudante e R$ 10,00 para o público em geral.

No site da Bienal, em “Livro do dia”, você ainda pode checar quais são os livros com desconto de 30% no valor da capa no dia em que for visitar a feira.

Quem dispuser de tempo e dinheiro para visitar a Bienal desse ano, nos diga o que mais lhe chamou a atenção.

Dêem uma olhada no site da feira, de onde retirei as informações que fazem dar vontade de ir até sampa nesse ou no próximo fim de semana.

http://www.bienaldolivrosp.com.br/