Um prêmio dedicado aos profissionais do livro

Imaginem se um dia, você subisse ao palco para receber um prêmio pela execução de um filme daquela revisão que te privou de horas de sono e garantiu muitas dores nas costas, mas que no final te deu o maior orgulho. Oscar de Produção Editorial? Exatamente.

Em Portugal, Os Prêmios Edição LER | Booktailors premiam os melhores profissionais da área da edição de livros. Os prêmios principais (e que contam com os votos do público, além de um júri especialista) são dedicados aos criadores de: Melhor capa de Literatura, Não-ficção, Infanto-juvenil,  Arte,  Gastronomia; Melhor Projeto Gráfico (nas mesmas subdivisões); melhor fotografia original; melhor ilustração original; e (saindo um pouco do campo da edição) Melhor livraria independente, entre outros. Ainda existem os Prêmios Especiais do Júri que galardeam os profissionais de Edição, Revisão, Tradução, Livreiro e blogosfera de edição, entre outras categorias.

Os vencedores da edição de 2009 foram anunciados em maio, e podem ser conferidos aqui. Vejam as capas, e digam se pensam como eu, que acho sorte deles que não é permitido a candidatura de capistas brasileiros ao prêmio.

Curiosidade: se essa premiação ocorresse aqui no Rio, alguém consegue imaginar candidatos aos prêmios de “Melhor livraria independente” e “Melhor Livreiro”?

(Juro que tentarei não falar de Portugal no próximo post. =P)

Anúncios

Cosac Naify se destaca em 2008

Segundo o jornal O Estado de São Paulo (30/12/2008), 2008 foi um ano dourado para a editora Cosac Naify. E não é exagero. Além de editar o Nobel de Literatura do ano, Jean-Marie Le Clézio , a editora venceu três categorias do Prêmio Fernando Pini de Excelência Gráfica. Em “livro de texto”, com Moby Dick. Em “livro infantil”, com Lampião e Lancelote. E uma das Coleções de Moda Brasileira venceu na categoria “livro ilustrado”, informa a coluna Direto da fonte.

A Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) elegeu, no dia 8 de dezembro, os melhores do ano em dez categorias. Dois livros editados pela Cosac Naify foram premiados.  Em Literatura, O santo sujo – a vida de Jayme Ovalle, escrito pelo jornalista Humberto Werneck, foi eleito a melhor biografia do ano. Na mesma categoria, O livro amarelo do Terminal, de Vanessa Barbara, conquistou o prêmio de melhor livro-reportagem com uma original abordagem da rodoviária do Tietê ao retratar as mais diversas histórias de vida que ali se cruzam, além de uma criteriosa investigação jornalística sobre sua construção. Já O Fazedor de Velhos, de Rodrigo Lacerda levou o  Prêmio Glória Pondé de Literatura Infantil e Juvenil, da Fundação Biblioteca Nacional.

5º Prêmio Barco a Vapor ocorre em 2009

barco_vaporA quinta edição do Prêmio Barco a Vapor de literatura infantil e juvenil, que ocorre em 2009, está com inscrições abertas até 28 de fevereiro do próximo ano. A participação é aberta a todos os escritores com mais de 18 anos que apresentem originais dirigidos a leitores entre 6 e 13 anos. Os originais devem ser inéditos e escritos em língua portuguesa. O júri será nomeado pela Fundação SM e formado por especialistas em literatura e escritores. O vencedor ganha a publicação do original na coleção Barco a Vapor, da Edições SM. Os originais deverão ser endereçados e encaminhados a Prêmio Barco a Vapor (Rua Gomes de Carvalho, 1511 – Mezanino – Vila Olímpia. São Paulo/SP. Cep:04547-005). Outros trabalhos inscritos no Prêmio podem despertar o interesse da Edições SM, que durante o prazo de 6 meses, a contar da data de divulgação do vencedor, poderá estabelecer contato com os autores de obras recomendadas pelo júri, para adquirir os direitos de publicação.

Fonte: Publishnews